Acalasia: O que é, Causas, Sintomas, Tratamentos e Prevenção!

Também chamada de Acalasia da cárdia, a acalasia é um distúrbio raro que dificulta a entrada de alimentos e líquidos no estômago. A acalasia ocorre quando os nervos do tubo que conectam sua boca e estômago (esôfago) ficam danificados. Como resultado, o esôfago perde a capacidade de espremer os alimentos, e a válvula muscular entre o esôfago e o estômago (esfíncter esofágico inferior) não relaxa completamente – dificultando a passagem dos alimentos para o estômago.

Não há cura para a acalasia. Mas os sintomas geralmente podem ser tratados com terapia minimamente invasiva ou cirurgia.

O que é Acalasia:

A acalasia é uma doença rara do músculo do esôfago (tubo de deglutição). O termo acalasia significa “incapacidade de relaxar” e refere-se à incapacidade do esfíncter esofágico inferior (um anel de músculo situado entre o esôfago inferior e o estômago) de se abrir e deixar a comida passar para o estômago.

Como resultado, as pessoas com acalasia têm dificuldade em engolir alimentos. Além da falta de relaxamento, a acalasia está associada a anormalidades do peristaltismo esofágico (geralmente completa ausência de peristaltismo), a atividade muscular coordenada do corpo do esôfago (que compreende 90% do esôfago) que transporta os alimentos da garganta para o estômago.

VEJA TAMBÉM: ACABE de Vez com o SOFRIMENTO da Menopausa HOJE…

Acalasia

Causa da Acalasia:

A acalasia pode acontecer por diferentes razões. Pode ser difícil para o seu médico encontrar uma causa específica. Esta condição pode ser hereditária ou pode ser o resultado de uma condição auto – imune . Com este tipo de condição, o sistema imunológico do seu corpo ataca erroneamente as células saudáveis ​​do seu corpo. A degeneração dos nervos no esôfago geralmente contribui para os sintomas avançados da acalasia.

Outras condições podem causar sintomas semelhantes aos da acalasia. Câncer do esôfago é uma dessas condições. Outra causa é uma infecção parasitária rara chamada doença de Chagas. Esta doença ocorre principalmente na América do Sul.

Sintomas da Acalasia:

Pessoas com acalasia muitas vezes têm dificuldade para engolir ou sentem que a comida está presa no esôfago. Isso também é conhecido como disfagia. Este sintoma pode causar tosse e aumentar o risco de aspiração, ou inalar ou engasgar com alimentos. Outros sintomas incluem:

  • Dor ou desconforto no peito;
  • Perda de peso;
  • Azia;
  • Dor intensa ou desconforto depois de comer.

Você também pode ter regurgitação ou refluxo. No entanto, estes podem ser sintomas de outras condições gastrointestinais, como refluxo ácido.

Diagnóstico da Acalasia:

A acalasia pode ser negligenciada ou diagnosticada erroneamente porque tem sintomas semelhantes a outros distúrbios digestivos. Para testar a acalasia, seu médico provavelmente recomendará:

  • Manometria esofágica. Este teste mede as contrações musculares rítmicas em seu esôfago quando você engole, a coordenação e força exercida pelos músculos do esôfago, e quão bem o seu esfíncter esofágico inferior relaxa ou se abre durante uma deglutição.
  • Raios-X do seu sistema digestivo superior. Raios-X são tomadas depois que você bebe um líquido calcário que reveste e preenche o revestimento interno do trato digestivo. O revestimento permite ao seu médico ver uma silhueta do esôfago, estômago e intestino superior. Você também pode ser solicitado a engolir uma pílula de bário que pode ajudar a mostrar um bloqueio do esôfago.
  • Endoscopia superior. Seu médico insere um tubo fino e flexível equipado com uma luz e câmera (endoscópio) na garganta, para examinar o interior do esôfago e do estômago. A endoscopia pode ser usada para definir um bloqueio parcial do esôfago se seus sintomas ou resultados de um estudo de bário indicarem essa possibilidade. A endoscopia também pode ser usada para coletar uma amostra de tecido (biópsia) a ser testada para complicações do refluxo, como o esôfago de Barrett.

Tratamento da Acalasia:

O tratamento com acalasia concentra-se em relaxar ou forçar a abertura do esfíncter esofágico inferior de modo que a comida e o líquido possam se mover mais facilmente através do trato digestivo. O tratamento específico depende da sua idade e da gravidade da condição.

Tratamento não Cirúrgico:

Opções não cirúrgicas incluem:

  • Dilatação Pneumática. Um balão é inserido no esfíncter esofágico e inflado para aumentar a abertura. Este procedimento ambulatorial pode precisar ser repetido se o esfíncter esofágico não permanecer aberto. Quase um terço das pessoas tratadas com dilatação com balão precisa repetir o tratamento dentro de seis anos.
  • Botox (toxina botulica do tipo A). Este relaxante muscular pode ser injetado diretamente no esfíncter esofágico com um endoscópio. As injeções podem precisar ser repetidas, e repetir injeções pode dificultar a realização da cirurgia mais tarde, se necessário. Botox geralmente é recomendado apenas para pessoas que não são boas candidatas para dilatação pneumática ou cirurgia devido à idade ou saúde geral.
  • Medicação. Seu médico pode sugerir relaxantes musculares como nitroglicerina (Nitrostat) ou nifedipina (Procardia) antes de comer. Estes medicamentos têm efeito terapêutico limitado e efeitos colaterais graves. Medicamentos são geralmente considerados apenas se você não é um candidato para dilatação pneumática ou cirurgia, e Botox não ajudou.

VEJA: Como Essa Mulher Emagreceu 30 KG EM 45 DIAS

Cirurgia:

A cirurgia pode ser recomendada para pessoas mais jovens, porque o tratamento não cirúrgico tende a ser menos eficaz nesse grupo. Opções cirúrgicas incluem:

  • Miotomia de Heller. O cirurgião corta o músculo na extremidade inferior do esfíncter esofágico para permitir que o alimento passe mais facilmente para o estômago. O procedimento pode ser realizado de forma não invasiva (miotomia laparoscópica de Heller). As pessoas que têm uma miotomia de Heller podem desenvolver posteriormente a doença do refluxo gastroesofágico (DRGE).
  • Fundoplicatura. O cirurgião envolve a parte superior do estômago em torno do esfíncter inferior do esôfago, para apertar o músculo e prevenir o refluxo ácido. Fundoplicatura pode ser realizada ao mesmo tempo que a miotomia de Heller, para evitar problemas futuros com refluxo ácido. A fundoplicatura geralmente é feita com um procedimento minimamente invasivo (laparoscópico).
  • Miotomia endoscópica orais (POEM). O cirurgião usa um endoscópio inserido pela boca e pela garganta para criar uma incisão no revestimento interno do esôfago. Então, como na miotomia de Heller, o cirurgião corta o músculo na extremidade inferior do esfíncter esofágico. POEM não inclui um procedimento anti-refluxo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acantose Nigricans: O que é, Causas, Sintomas, Tratamentos e Prevenção!

Tendinite do Calcâneo: O que é, Causas, Sintomas, Tratamentos e Prevenção!