Enfisema: O que é, tratamentos, causas e sintomas!

Enfisema é uma doença pulmonar que causa dificuldade para respirar. Pessoas com enfisema têm bolsas de ar danificadas nos pulmões (alvéolos). Com o tempo, as paredes internas dos sacos de ar enfraquecem e se quebram, criando espaços de ar maiores em vez de muitos espaços pequenos. Isso reduz a superfície dos pulmões e, por sua vez, a quantidade de oxigênio que atinge a corrente sanguínea. Quando você expira, os alvéolos danificados não funcionam normalmente e o ar velho fica preso sem deixar espaço para ar fresco e rico em oxigênio.

A maioria das pessoas com enfisema também tem bronquite crônica. A bronquite crônica é a inflamação dos tubos que transportam o ar para os pulmões (brônquios), o que produz uma tosse persistente. Enfisema e bronquite crônica são duas condições que formam a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). O tabagismo é a principal causa de doença pulmonar obstrutiva crônica. O tratamento pode atrasar a progressão da doença pulmonar obstrutiva crônica, mas não pode reverter os danos.

Enfisema

Causas:

A principal causa de enfisema é a exposição prolongada a substâncias irritantes no ar, que incluem:

  • Fumaça de tabaco
  • Fumaça de maconha
  • Contaminação atmosferica
  • Fumos químicos e poeira

Enfisema raramente ocorre devido a um distúrbio hereditário em uma proteína que protege as estruturas elásticas dos pulmões. Esta condição é também chamada de “enfisema devido à deficiência de alfa-1 antitripsina”.

Sintomas:

Enfisema pode estar presente por muitos anos sem que você perceba sinais ou sintomas. O principal sintoma do enfisema é a dificuldade em respirar, que geralmente começa gradualmente.

Você pode começar evitando atividades que dificultam a respiração, para que o sintoma não se torne um problema que interfira em suas tarefas diárias. Com o tempo, o enfisema causa dificuldade para respirar mesmo quando você está em repouso.

Quando ir ao médico:

Verifique com seu médico se sentiu falta de ar sem causa aparente por vários meses, especialmente se isso está piorando ou se interfere em suas tarefas diárias. Não ignore isso, convencendo-se de que é porque você está ficando velho ou não está em forma. Procure atendimento médico imediato nos seguintes casos:

  • Se você tem tanta dificuldade em respirar que não consegue subir escadas;
  • Se os seus lábios e unhas ficarem azuis ou cinzentos quando você tentar excessivamente;
  • Se você não se encontra lúcido.

Preparação para a consulta:

A primeira consulta para descobrir se você tem enfisema pode ser com o médico da atenção primária ou com um especialista em doenças pulmonares (pneumologista).

O que pode fazer:

Antes da consulta, seria conveniente que você fizesse uma lista de respostas para as seguintes perguntas:

  • Você fuma? Se sim, quantos pacotes por dia e quando começou a fumar?
  • Você está exposto ao fumo passivo?
  • Você estava exposto a emissões de gases de produtos químicos ou poeira industrial em algum de seus trabalhos?
  • Há mais alguém na sua família que sofre de problemas pulmonares?
  • Quais medicamentos e suplementos você costuma tomar?

O que esperar do médico:

O médico pode fazer algumas das seguintes perguntas:

  • Você tosse todos os dias? Se sim, quando a tosse começou?
  • Se você fuma, você tentou sair?
  • Quando você notou pela primeira vez dificuldade em respirar?
  • Existe alguém na sua família com enfisema ou doença pulmonar obstrutiva crônica?
  • A dificuldade em respirar impede você de completar tarefas diárias?
  • Você já notou um tom azulado nas unhas ou nos lábios?
  • Você perdeu ou ganhou peso ultimamente?

Tratamento:

Enfisema e doença pulmonar obstrutiva crônica não podem ser curados, mas existem tratamentos que podem ajudar a aliviar os sintomas e retardar a progressão da doença.

Medicamentos:

Dependendo da gravidade dos sintomas, o médico pode sugerir o seguinte:

  • Broncodilatadores. Esses medicamentos podem ajudar a aliviar a tosse, a falta de ar e os problemas respiratórios ao relaxar as vias aéreas constringidas.
  • Corticosteróides inalados. Os corticosteróides inalados, como sprays de aerossol, reduzem a inflamação e podem ajudar a aliviar a falta de ar.
  • Antibióticos. Se você tem uma infecção bacteriana, como bronquite aguda ou pneumonia, os antibióticos são apropriados.

Terapia:

  • Reabilitação pulmonar. Um programa de reabilitação pulmonar pode ensinar-lhe exercícios e técnicas de respiração que poderiam reduzir sua dificuldade respiratória e melhorar sua capacidade de se exercitar.
  • Terapia Nutricional. Você também receberá conselhos sobre como se alimentar corretamente. Nos estágios iniciais do enfisema, muitas pessoas precisam perder peso, enquanto as que estão em estágio avançado geralmente precisam ganhar peso.
  • Administração de oxigênio. Se você tem enfisema grave com baixos níveis de oxigênio no sangue, o uso de oxigênio periodicamente quando você está em casa e quando se exercita pode proporcionar algum alívio. Muitas pessoas usam oxigênio 24 horas por dia. Geralmente é administrado através de um tubo fino que é colocado nas passagens nasais.

Cirurgia:

Dependendo da gravidade do enfisema que você tem, o médico pode sugerir um ou mais tipos diferentes de cirurgia, incluindo:

  • Cirurgia para reduzir o volume pulmonar. Neste procedimento, os cirurgiões removem pequenos segmentos de tecido pulmonar danificado. A extração do tecido doente ajuda o tecido pulmonar remanescente a expandir-se e a funcionar eficientemente, o que é útil para melhorar a respiração.
  • Transplante de pulmão. O transplante de pulmão é uma alternativa se você tiver dano pulmonar grave e outras opções não funcionarem.

Prevenção:

Para evitar enfisema, não fume e evite inalar fumaça ambiental. Use uma máscara para proteger seus pulmões se você trabalha em ambientes que emitem gases químicos ou poeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Doenças infecciosas

Doenças infecciosas: Tratamentos, causas e sintomas!

Enterite por radiação

Enterite por radiação: Sintomas, fatores de risco e tratamentos!