Graviola – Origem, Nutrientes, Benefícios e Efeitos Colaterais

De nome científico é Annona muricata L., a graviola é uma fruta, também conhecida como Fruta-do-Conde, Sap-Sap, Jaca do Pará ou Jaca de pobre, utilizada como fonte de fibras e vitaminas, sendo o seu consumo recomendado em casos de prisão de ventre, diabetes e obesidade. A fruta possui um formato oval, com a casca na cor verde-escuro e coberta de “espinhos”. A parte interna é formada por uma polpa branca com o sabor levemente adocicado e um pouco ácido, sendo utilizada na preparação de vitaminas e sobremesas. Além disso, a graviola pode ser encontrada em mercados, feiras e lojas de produtos naturais. Então, para saber um pouco mais continue lendo e descubra tudo o que você precisa saber sobre esta fruta. Vamos lá?!

Origem da Graviola:

A graviola (Annona muricata) é uma planta originária das Antilhas, onde se encontra em estado silvestre. Nos Andes do Peru, a folha é tradicionalmente usada como chá no tratamento de catarro excessivo. As sementes tem ação anti parasitaria, as raízes e as folhas eram utilizadas para diabetes; no Brasil, tornou-se subespontânea na Amazônia.

Prefere climas úmidos e baixa altitude. Popularmente é conhecida como, araticum de comer, araticum do grande, araticum manso, araticum, jaca de pobre, coração, coração de rainha, jaca do Pará, jaqueira mole. Em Angola é conhecida por sape-sape. No Maranhão é chamada Jacama.

A graviola é uma árvore de pequeno porte (atinge de 4 a 6 metros de altura) e encontrada em quase todas as florestas tropicais, com folhas verdes brilhantes e flores amareladas, grandes e isoladas, que nascem no tronco e nos ramos. Os frutos têm forma ovalada, casca verde-pálida, são grandes, chegando a pesar entre 750 gramas a 8 quilogramas e dando o ano todo.

Contém muitas espinhas, vermelhas, envolvidas por uma polpa branca, de sabor agridoce, muito delicado e considerados por muitos que o comeram semelhante ao fruto abóbora (ou jerimum, no nordeste do Brasil). Estão a realizar-se estudos para saber se a graviola cura ou não o cancro (ou câncer, em português do Brasil).

graviola

Valor Nutricional da Graviola:

A graviola contém quantidades abundantes de vitamina C e várias vitaminas do complexo B, como tiamina, riboflavina e niacina, bem como minerais como cálcio, fósforo e uma pequena quantidade de ferro. O fruto é composto por 67,5% de polpa, 20% de casca de fruta, 8,5% de sementes de frutos e 4% de pedaços de núcleo. Conheça os valores nutricionais:

VALOR NUTRICIONAL POR 100 G
276 kJ (66 kcal)
16,84 g
Açúcares
13,54 g
Fibra dietética
3,3 g
Gorduras
0,3 g
1 g
Tiamina (vit. B1
0,07 mg (6%)
Riboflavina (vit. B2)
0,05 mg (4%)
Niacina (vit. B3)
0,9 mg (6%)
0,253 mg (5%)
0,059 mg (5%) g
14 μg (4%)
Colina
7,6 mg (2%)
20,6 mg (25%)
14 mgs (1%)
0,6 mg (5%)
21 mgs (6%)
27 mgs (4%)
278 mg (6%)
14 mgs (1%)
0,1 mg (1%)

Agora que já conhecemos os nutrientes, conheça também os benefícios para a saúde.

Benefícios da Graviola:

Por causa das suas propriedades, a graviola pode ser utilizada em diversas situações, como:

Ajuda a Lutar Contra o Câncer:

Embora não tenha havido estudos diretos em humanos, verificou-se que extratos de graviola matam certos tipos de células de câncer de mama e fígado. De acordo com um estudo, a planta de graviola é um remédio de câncer comprovado para a maioria dos tipos da doença. Embora os testes ainda não tenham sido realizados em humanos, as possibilidades são promissoras. Em outro estudo indiano conduzido em várias linhagens de células, folhas de graviola mostraram 80% de inibição celular.

As acetogeninas na graviola inibem os compostos nocivos nas células cancerígenas. O extrato de graviola também inibiu a sobrevivência e o metabolismo das células cancerosas pancreáticas – e isso indica um potencial sucesso na cura da doença letal. O que possivelmente torna as acetogeninas únicas é sua capacidade de destruir seletivamente as células cancerosas, sem prejudicar as saudáveis.

Melhora a Saúde dos Olhos:

Temos visto a graviola está repleta de antioxidantes. Esses antioxidantes, especialmente as vitamina C e vitamina E, zinco e betacaroteno, diminuem o risco de doenças oculares. Os antioxidantes também reduzem o estresse oxidativo, que pode causar catarata e degeneração macular relacionada à idade.

Ajuda a Combater a Inflamação:

Em um estudo brasileiro, a inflamação causada por picada de cobra melhorou com a administração de licença de graviola e suco. No entanto, os componentes da graviola também podem agravar ligeiramente os efeitos nocivos do veneno de cobra – por isso, precisamos de mais pesquisas nesse aspecto.

Pesquisas na América do Sul e na África tropical enfatizaram as propriedades anti-inflamatórias das raízes, cascas e folhas da gravioleira. A capacidade de tratar a inflamação é boa em graviola e pode ser usada para aliviar a artrite. Além do efeito antiinflamatório, a graviola também é conhecida por seus efeitos analgésicos.

Ajuda a Tratar Infecções:

A graviola pode tratar infecções causadas por bactérias e parasitas, sendo uma delas a leishmaniose, uma doença causada por parasitas que são transmitidos através das picadas de pulgão. As folhas da gravioleira também são usadas para tratar uma ampla gama de infecções.

Aumenta a Saúde Renal e Hepática:

De acordo com um estudo da Malásia, o extrato de graviola foi considerado seguro em ratos que estavam sendo tratados por doenças renais e hepáticas. Observações semelhantes podem ser observadas em humanos também. De acordo com outro estudo indiano, as acetogeninas na graviola podem matar as células malignas de 12 tipos de câncer, sendo o câncer de fígado um deles.

Ajuda a Aliviar o Estresse:

De acordo com um relatório da Universidade de Connecticut, a graviola pode ser usada extensivamente para o tratamento do estresse e outras questões como a depressão.

Melhora a Saúde Gastrointestinal:

A graviola também apresenta propriedades antiúlcera. O fruto suprime o dano oxidativo e preserva o muco da parede gástrica. As propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias significativas da fruta podem ajudar a melhorar a saúde gastrointestinal. Em um estudo brasileiro, as propriedades anti-helmínticas (capacidade de matar parasitas) do extrato de folhas de graviola foram estudadas. Eles estudaram os efeitos de um verme parasita que causou problemas gastrointestinais em ovelhas.

O objetivo do estudo foi inspecionar os efeitos da graviola em relação aos ovos e formas adultas do parasita. O estudo concluiu que a graviola é um anti-helmíntico natural e, uma vez que pode matar os parasitas em ovelhas que lhes causaram problemas gastrointestinais, pode ter efeitos semelhantes em humanos. Mais pesquisas estão acontecendo, no entanto.

De acordo com outro relatório, doses excessivas de ferro oral podem levar a problemas gastrointestinais. Embora a graviola seja uma fonte de ferro, o conteúdo mineral na fruta não é tanto quanto os outros ingredientes – portanto, é improvável que cause desconforto gastrointestinal. O mesmo fato, novamente, poderia funcionar em benefício do indivíduo.

Por exemplo, um indivíduo que sofre de deficiência de ferro pode ser suscetível à anemia, que é conhecida por causar disfunção do sistema gastrointestinal. Embora a graviola não seja uma excelente fonte de ferro , ela contém ferro – e, portanto, pode ser uma adição saudável a uma dieta rica em ferro para combater a anemia (e os problemas gastrointestinais resultantes).

Aumenta o Sistema Imunológico:

Um estudo coreano afirma que a ingestão de graviola pode aumentar a imunidade . Isso pode ser atribuído aos compostos bioativos da fruta. Observou-se que a ingestão oral de extrato de folhas de gravioleira reduz o edema nas patas de ratos, o que geralmente é causado devido a um sistema imunológico fraco. O estudo conclui afirmando que o extrato de folhas de graveto tem o potencial de estimular a imunidade e, portanto, pode ser usado no tratamento de pacientes imunocomprometidos. A graviola também pode fazer parte da dieta para melhorar a qualidade geral do estilo de vida.

Verificou-se que o suco da fruta da gravura fornece mais micronutrientes do que sua polpa. Mas a polpa tem mais quantidade de vitamina A do que o suco. A graviola também é rica em ácido ascórbico (vitamina C) que fortalece e estimula o sistema imunológico. O beta-caroteno, precursor da vitamina A, também contribui para um sistema imunológico aprimorado.

Outro relatório publicado em um periódico da Universidade de West Indies fala sobre um estudo em que pacientes com diferentes formas de câncer receberam alimentos diferentes, sendo a graviola uma delas. O objetivo do experimento, como afirmado no relatório, era melhorar o sistema imunológico dos pacientes.

Alivia a Dor (Funciona Como Analgésico):

Segundo a Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA, a graviola pode funcionar como analgésico. Os camundongos usados ​​no estudo foram forçados a escrever, postando que o extrato de graviola era induzido neles. O experimento produziu resultados desejáveis.

Ajuda a Tratar a Febre:

A fruta da gravioleira tem sido tradicionalmente usada para tratar a febre. Na África, uma decoção de folhas de graviola é usada para controlar sintomas febris e convulsões convulsivas. De fato, as larvas do mosquito Aedes aegypti (transmissoras da dengue) mostraram grande vulnerabilidade ao extrato de graviola.

De acordo com um estudo indiano, a fruta da gravioleira e seu suco podem não apenas tratar a febre, mas também atuar como um adstringente para diarreia e disenteria. A fruta também pode ajudar a tratar a febre em crianças; A graviola é amplamente utilizada para esse fim na África.

Ajuda a Tratar o Reumatismo:

Segundo estudos, a administração interna de decoção de gravioleira mostrou propriedades anti-reumáticas. E as folhas, quando cozidas e aplicadas topicamente, ajudavam a aliviar o reumatismo e os abcessos. Na África, a fruta é usada no tratamento do reumatismo e da dor artrítica. Até mesmo as folhas amassadas da graviola são usadas como cataplasma para tratar o reumatismo. A fruta também contém antocianinas, taninos e alcalóides que exibem efeitos anti-reumáticos.

Melhora a Pele e os Cabelos:

De acordo com um relatório publicado na Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA, o extrato de folhas de graviola pode ajudar a prevenir o papiloma da pele, uma doença que causa erupções tumorais na pele. De fato, esta fruta é tão boa para a pele que as folhas da planta são usadas para acalmar a pele dos bebês. Certas fontes também sugerem que a pasta de graviola pode fazer maravilhas para os cabelos – tratando a caspa e a coceira, além de fortalecer os cabelos também. Mas precisamos de mais pesquisas sobre isso.

Como Consumir a Graviola:

A graviola pode ser consumida de diversas formas: natural, como suplemento em cápsulas, em sobremesas, chás e sucos. Tudo desta fruta pode ser aproveitado, desde a raiz até as flores. Formas de consumir:

Chá de Graviola:

Ingredientes:

  • 10 g de folhas de graviola secas;
  • 1 litro de água.

Modo de Preparo:

  • É feito com 10 g de folhas de graviola secas, que devem ser colocadas em 1 litro de água fervente.
  • Após 10 minutos, deve-se coar e consumir 2 a 3 xícaras após as refeições;

Suco de Graviola:

Ingredientes:

  • 1 (um) litro de água
  • 1 (uma) graviola de tamanho médio ou grande
  • 1 (uma) xícara de chá de açúcar mascavo
  • Gelo (de 7 a 10 cubos)

Modo de Preparo:

  • Com os ingredientes separados, deve-se primeiro descascar a graviola.
  • Para facilitar no momento de coar, corte a graviola ao meio e retire as sementes com uma colher e também o miolo que é mais fibroso, jogue fora o que foi retirado.
  • Em seguida, coloque a graviola, o açúcar mascavo e a água no liquidificador e bata por mais ou menos 1 minuto.
  • Após 1 (um) minuto o suco de graviola estará pronto.
  • Caso deseje, no momento de servir, você pode coar o suco de graviola antes que seja despejado na jarra ou nos copos.
  • Adicione o gelo para deixar o suco de graviola ainda mais refrescante e aproveite.

Como a graviola já é naturalmente doce e com sabor agradável, pode-se muitas vezes comprar um fruto um pouco mais maduro, pois assim o açúcar não precisa ser adicionado ao suco de graviola, garantindo que seja ainda mais benéfico para o seu organismo.

Sorvete de Graviola:

Ingredientes:

  • 400 g de polpa de graviola
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 lata de creme de leite sem soro
  • 1 colher (sopa) de raspas de limão siciliano

Modo de Preparo:

  • Coloque a polpa de graviola e o leite condensado no liquidificador e bata bem.
  • Adicione o creme de leite e bata mais uns minutos.
  • Coloque a polpa batida numa vasilha plástica, acrescente a raspa de limão e misture bem.
  • Tampe e leve ao congelador por uma hora.
  • Bata mais uma vez no liquidificador e leve de volta ao congelador por mais meia hora.

Mousse de Graviola:

Ingredientes:

  • 1 envelope gelatina sem sabor
  • 3 colheres (sopa) água
  • 1 lata leite condensado
  • 1 lata creme de leite
  • 2 saquinhos polpa de graviola congelada
  • 1 xícara (chá) de leite

Modo de Preparo:

  • Hidrate a gelatina na água e dissolva em banho-maria
  • Bata no liquidificador com os demais ingredientes, coloque em taças individuais e leve à geladeira por 4 horas antes de servir
  • Sirva com cobertura para sorvete de chocolate

Torta de Graviola:

Ingredientes: Massa:

  • 300 g de biscoito maisena (1 pacote e 1/2)
  • 200 g de margarina de boa qualidade

Ingredientes: Recheio:

  • 500 g de polpa de graviola
  • 2 latas de creme de leite
  • 2 latas de leite condensado
  • 2 pacotes de gelatina sem sabor
  • 200 g de ameixas em passas sem caroço
  • 100 ml de água

Ingredientes: Cobertura:

  • 2 caixinhas de preparo líquido para chantilly
  • Cobertura para sorvete sabor ameixa ou caramelo

Modo de Preparo: Massa:

  • Triture os biscoitos no liquidificador, até obter uma farinha homogênea
  • Em uma travessa, junte a farinha de biscoitos e a margarina e amasse, até obter consistência pra forrar a forma (desmontável)
  • Forre o fundo e as laterais da forma com a massa e leve ao forno preaquecido em 260ºC por 15 minutos
  • Após assada, tire do forno e deixe esfriar

Modo de Preparo:  Recheio (MOUSSE):

  • No liquidificador, junte o leite condensado, o creme de leite e a polpa de graviola
  • Antes disso, aqueça a água e dissolva nela a gelatina sem sabor
  • Bata tudo, acrescentando a gelatina dissolvida por último
  • Despeje na forma forrada com a massa de biscoito
  • Pegue 3/4 das ameixas, cortando-as pela metade, e coloque-as sobre a mousse, deixando-as “afundar”
  • Reserve na geladeira por 8 horas

Modo de Preparo:  Cobertura:

  • Prepare o chantilly seguindo as orientações contidas na embalagem
  • Aplique sobre a torta, espalhando com uma espátula
  • Com uma tesoura de cozinha, corte lascas das ameixas que restaram, salpicando-as sobre o chantilly
  • Para finalizar, enfeite com a cobertura de sorvetes, fazendo movimento circulares
  • Pode-se substituir a cobertura de sorvetes com um caramelo de açúcar (tipo pudim)
  • Ao invés de água (para o caramelo), utilize 100 ml de água batida no liquidificador com 2 ameixas grandes
  • Tire da forma a torta, e deixe-a na geladeira
  • Delicie-se!

Contraindicação da Graviola:

O consumo não é indicado para gestantes, pessoas com caxumba, aftas ou ferimentos na boca, já que a acidez da fruta pode causar dor, e pessoas com hipotensão, pois um dos efeitos colaterais da fruta é a diminuição da pressão arterial.

Além disso, as pessoas hipertensas devem ter orientação do cardiologista à respeito do consumo, pois a fruta pode interagir com os medicamentos utilizados ou até mesmo diminuir muito a pressão, podendo levar a um quadro de hipotensão.

Efeitos Colaterais da Graviola:

Os mesmos estudos, que identificaram seus benefícios, foram importantes também na aferição dos efeitos nocivos com o uso das substâncias extraídas da graviola. Um dos principais efeitos colaterais com o uso é o fato de baixar a pressão arterial, além da presença de um determinado químico na fruta que pode causar mudanças no funcionamento da rede neural e desordem na coordenação dos movimentos quando consumido em grandes quantidades. As mudanças nervosas podem causar sintomas semelhantes ao mal de Parkinson.

Algumas pesquisas de laboratórios descobriram também que algumas substâncias da fruta podem causar danos nervosos e estas substâncias podem ser levadas ao cérebro pelo fluxo sanguíneo. Esta fruta não é recomendada para pessoas com caxumba, aftas ou ferimentos na boca, pois sua acidez pode provocar dor. As mulheres grávidas também devem evitar o consumo, pois a fruta pode provocar aborto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Granadilha – Origem, Nutrientes, Benefícios e Efeitos Colaterais

Groselha – Origem, Nutrientes, Benefícios e Efeitos Colaterais