Vasculite: O que é, Causas, Sintomas, Tratamentos e Prevenção!

Também chamada de: Angiite, a vasculite é uma inflamação dos vasos sanguíneos. Causa alterações nas paredes dos vasos sanguíneos, incluindo espessamento, enfraquecimento, estreitamento ou cicatrização. Essas alterações podem restringir o fluxo sanguíneo, resultando em danos aos órgãos e tecidos. Existem muitos tipos de vasculite e a maioria deles é rara. A vasculite pode afetar apenas um órgão ou vários. A condição pode ser de curto prazo (aguda) ou de longa duração (crônica).

A vasculite pode afetar qualquer pessoa, embora alguns tipos sejam mais comuns entre determinados grupos. Dependendo do tipo que você tem, você pode melhorar sem tratamento. Alguns tipos requerem medicamentos para controlar a inflamação e prevenir surtos. A vasculite é também conhecida como angite e arterite.

O que é Vasculite:

A vasculite pode danificar órgãos específicos reduzindo o suprimento de oxigênio.
Vasculite significa e inflamação dos vasos sanguíneos. Pode afetar diferentes partes do corpo, e o impacto e os sintomas dependerão de qual parte é afetada. A vasculite também é chamada de angite e arterite. Causa alterações nas paredes dos vasos sanguíneos, que podem incluir cicatrização, enfraquecimento, estreitamento e espessamento.

Vasculite pode ser aguda e de curto prazo ou crônica e de longo prazo. Em alguns casos, os órgãos do corpo podem ser afetados, especialmente se não receberem nutrientes suficientes e sangue rico em oxigênio, resultando em danos aos órgãos e, às vezes, à morte.

Tipos de Vasculite:

Existem diferentes tipos de vasculite e de uma maneira geral podemos dizer que elas podem ser divididas em vasculites que acometem vasos grandes com a aorta, vasos médios, que são menores que a aorta e seus ramos, e vasos pequenos. Das vasculites mais conhecidas podemos citar:

  • Arterite temporal;
  • Arterite de Takayasu;
  • Poliarterite nodosa;
  • Síndrome de Kawasaki;
  • Granulomatose de Wegener;
  • Síndrome de Churg-Strauss;
  • Púrpura de Henoch-Schönlein;
  • Doença de Behçet;
  • Vasculite leucocitoclástica;
  • Tromboangeíte obliterante.

Causas de Vasculite:

A causa exata da vasculite não é totalmente compreendida. Alguns tipos estão relacionados à composição genética de uma pessoa. Outros resultam do sistema imunológico atacando as células dos vasos sanguíneos por engano. Possíveis gatilhos para esta reação do sistema imunológico incluem:

  • Infecções, como hepatite B e hepatite C;
  • Câncer de sangue;
  • Doenças do sistema imunológico, como artrite reumatóide, lúpus e esclerodermia;
  • Reações a certas drogas.

Vasos sanguíneos afetados por vasculite podem sangrar ou ficar inflamados. A inflamação pode causar espessamento das camadas da parede do vaso sanguíneo. Isso estreita os vasos sanguíneos, reduzindo a quantidade de sangue – e, portanto, oxigênio e nutrientes vitais – que atinge os tecidos e órgãos do corpo.

Sintomas de Vasculite:

Os sinais e sintomas da vasculite variam muito. Eles estão frequentemente relacionados à diminuição do fluxo sanguíneo por todo o corpo.

Sinais e sintomas gerais comuns à maioria dos tipos de vasculite:

Os sinais e sintomas gerais de vasculite incluem:

Sinais e sintomas para tipos específicos de vasculite:

Outros sinais e sintomas estão relacionados apenas a certos tipos de vasculite. Os sintomas podem se desenvolver precocemente e rapidamente ou em fases posteriores da doença.

  • Doença de Behçet (beh-CHETS). Esta condição causa inflamação das suas artérias e veias. Os sinais e sintomas incluem úlceras orais e genitais, inflamação ocular e lesões cutâneas semelhantes a acne.
  • Doença de Buerger. Esta condição provoca inflamação e coágulos nos vasos sanguíneos das mãos e pés, resultando em dor e úlceras nessas áreas. Raramente, a doença de Buerger pode afetar os vasos sanguíneos no abdômen, cérebro e coração. É também chamado de tromboangiite (throm-boe-an-jee-eu-tis) obliterante.
  • Síndrome de Churg-Strauss (granulomatose eosinofílica com poliangiite). Esta condição é muito rara. Ela afeta principalmente os pulmões, pele, rins, coração e nervos em seus membros. Os sinais e sintomas variam muito e incluem asma, alterações da pele, dor nos nervos e alergias nasais.
  • Crioglobulinemia. Esta condição resulta de proteínas anormais no sangue. Sinais e sintomas incluem erupção cutânea, dor nas articulações, fraqueza e dormência ou formigamento.
  • Arterite de células gigantes. Esta condição é uma inflamação das artérias na sua cabeça, especialmente nas têmporas. A arterite de células gigantes pode causar dores de cabeça, sensibilidade no couro cabeludo, dor na mandíbula, visão turva ou dupla e até cegueira. É também chamado de arterite temporal.
  • Granulomatose com poliangiite. Esta condição provoca inflamação dos vasos sanguíneos no nariz, seios da face, garganta, pulmões e rins. Os sinais e sintomas incluem congestão nasal, sinusite, hemorragias nasais e possivelmente tosse com sangue. Mas a maioria das pessoas não apresenta sintomas perceptíveis até que o dano seja mais avançado.
  • Púrpura de Henoch-Schönlein (vasculite por IgA). Esta condição é mais comum em crianças do que em adultos e causa inflamação dos menores vasos sanguíneos (capilares) da pele, articulações, intestinos e rins. Sinais e sintomas incluem dor abdominal, sangue na urina, dor nas articulações e uma erupção cutânea nas nádegas ou na parte inferior das pernas.
  • Vasculite de hipersensibilidade. Às vezes chamado de vasculite alérgica, o principal sinal dessa condição é manchas vermelhas na pele, geralmente na parte inferior das pernas. Pode ser desencadeada por uma infecção ou uma reação adversa à medicina.
  • Doença de Kawasaki. Esta condição afeta mais frequentemente crianças com menos de 5 anos de idade. Sinais e sintomas incluem febre, erupção cutânea e vermelhidão dos olhos. É também chamado de síndrome do linfonodo mucocutâneo.
  • Poliangiite microscópica. Esta forma de vasculite afeta pequenos vasos sanguíneos, geralmente aqueles nos rins, pulmões ou nervos. Você pode desenvolver dor abdominal e erupção cutânea, febre, dores musculares e perda de peso. Se os pulmões estão afetados, você pode tossir sangue.
  • Poliarterite nodosa. Esta forma de vasculite geralmente afeta os rins, o trato digestivo, os nervos e a pele. Os sinais e sintomas incluem uma erupção cutânea, mal-estar geral, perda de peso, dores musculares e nas articulações, dor abdominal após comer, pressão alta, dor muscular e fraqueza e problemas renais.
  • Arterite de Takayasu (tah-kah-YAH-sooz). Esta forma de vasculite afeta as artérias maiores do corpo, incluindo a aorta. Os sinais e sintomas incluem dor nas articulações, perda de pulso, pressão alta, suores noturnos, febre, mal-estar geral, perda de apetite, dores de cabeça e alterações visuais.

Quando ver um Médico:

Marque uma consulta com seu médico se tiver algum sinal ou sintoma que o preocupe. Alguns tipos de vasculite podem agravar-se rapidamente, por isso o diagnóstico precoce é fundamental para obter um tratamento eficaz.

Preparando-se para sua consulta:

Marque uma consulta com seu médico de cuidados primários se tiver sinais ou sintomas que o preocupem. Se o seu médico suspeitar que você tem vasculite, ele ou ela pode encaminhá-lo para um especialista em articulação e músculo (reumatologista) com experiência em ajudar pessoas com essa condição. Você também pode se beneficiar de uma abordagem multidisciplinar. Os especialistas que você vê dependem do tipo e da gravidade de sua condição.

Especialistas que tratam a vasculite incluem:

  • Médicos de tecidos articulares e conexos (reumatologistas)
  • Doutores do cérebro e do sistema nervoso (neurologistas)
  • Oftalmologistas
  • Médicos do coração (cardiologistas)
  • Médicos de doenças infecciosas
  • Médicos renais (nefrologistas)
  • Médicos pulmonares (pneumologistas)
  • Médicos de pele (dermatologistas)
  • Médicos do sistema urinário e urogenital (urologistas)

O que você pode fazer:

Como as consultas podem ser breves e, como há sempre muito espaço para cobrir, é uma boa ideia estar bem preparado. Tente:

  • Esteja ciente de qualquer restrição de pré-compromisso. No momento em que você fizer a consulta, pergunte se você precisa fazer algo antecipadamente, como restringir sua dieta .
  • Liste qualquer sintoma que você esteja tendo, incluindo qualquer um que possa parecer não relacionado ao motivo pelo qual você agendou o compromisso.
  • Liste informações médicas pessoais importantes, incluindo outros problemas de saúde recentes ou os principais estresses que você teve e quaisquer medicamentos, vitaminas e suplementos que esteja tomando.
  • Considere levar um membro da família ou amigo com você para o compromisso. Alguém que acompanha você pode ajudar a lembrar o que o médico diz.
  • Faça uma lista das perguntas que você deseja perguntar ao seu médico.

Para vasculite, algumas perguntas básicas a serem feitas incluem:

  • Que tipo de vasculite eu tenho?
  • O que está causando minha vasculite?
  • Vou precisar de mais testes?
  • Minha vasculite é aguda ou crônica?
  • Minha vasculite desaparecerá sozinha?
  • Minha vasculite é séria?
  • Alguma parte do meu corpo foi seriamente danificada por vasculite?
  • Minha vasculite pode ser curada?
  • Quais são as minhas opções de tratamento?
  • Quais são os benefícios e riscos de cada tratamento?
  • Existe um tratamento que você acha melhor para mim?
  • Quanto tempo dura o tratamento?
  • Eu tenho outra condição médica. Como posso gerenciar melhor essas condições juntos?
  • Eu deveria ver um especialista?
  • Você tem folhetos ou outros materiais impressos que eu possa levar comigo? Quais sites você recomendaria?

O que esperar do seu médico:

Seu médico pode perguntar:

  • Quando você começou a sentir sintomas?
  • Seus sintomas foram contínuos ou ocasionais?
  • Quão severos são seus sintomas?
  • O que, se alguma coisa, parece melhorar seus sintomas?
  • O que, se alguma coisa, parece piorar seus sintomas?

Fatores de Risco de Vasculite:

A vasculite pode ocorrer em qualquer sexo ou raça ou em qualquer idade. Mas alguns fatores podem aumentar o risco, como:

  • Fumar;
  • Ter infecções crônicas por hepatite B ou hepatite C;
  • Ter alguns tipos de condições auto-imunes, incluindo artrite reumatóide, esclerodermia ou lúpus.

Complicações de Vasculite:

As complicações da vasculite dependem do tipo e gravidade da sua condição. Ou eles podem estar relacionados aos efeitos colaterais dos medicamentos prescritos que você usa para tratar a doença. As complicações da vasculite incluem:

  • Dano ao órgão. Alguns tipos de vasculite podem ser graves, causando danos aos principais órgãos.
  • Coágulos sanguíneos e aneurismas. Um coágulo de sangue pode se formar em um vaso sanguíneo, obstruindo o fluxo sanguíneo. Raramente, a vasculite fará com que um vaso sanguíneo enfraqueça e inche, formando um aneurisma.
  • Perda de visão ou cegueira. Esta é uma possível complicação da artrite de células gigantes não tratada.
  • Infecções. Estes incluem condições graves e com risco de vida, como pneumonia e infecção do sangue (sépsis).

Diagnóstico de Vasculite:

Seu médico provavelmente vai começar por levar seu histórico médico e realizar um exame físico. Ele pode fazer com que você se submeta a um ou mais testes diagnósticos e procedimentos para descartar outras condições que imitem vasculite ou diagnostiquem vasculite. Testes e procedimentos podem incluir:

  • Exames de sangue. Esses testes procuram por sinais de inflamação, como um alto nível de proteína C-reativa. Uma contagem completa de células do sangue pode dizer se você tem glóbulos vermelhos suficientes. Exames de sangue que procuram certos anticorpos – como o teste de anticorpos citoplasmáticos anti-neutrófilos – podem ajudar a diagnosticar a vasculite.
  • Testes de urina. Estes testes podem revelar se a sua urina contém glóbulos vermelhos ou tem muita proteína, o que pode sinalizar um problema médico.
  • Testes de imagem. Técnicas de imagem não invasivas podem ajudar a determinar quais vasos sangüíneos e órgãos são afetados. Eles também podem ajudar o médico a monitorar se você está respondendo ao tratamento. Testes de imagem para vasculite incluem raios-X, ultra-som, tomografia computadorizada (TC), ressonância magnética (MRI) e tomografia por emissão de pósitrons (PET).
  • Raios-X dos seus vasos sanguíneos (angiografia). Durante este procedimento, um cateter flexível, semelhante a uma palha fina, é inserido em uma grande artéria ou veia. Um corante especial (meio de contraste) é então injetado no cateter, e os raios X são retirados quando o corante preenche a artéria ou veia. Os contornos dos vasos sanguíneos são visíveis nos raios X resultantes.
  • Biópsia Este é um procedimento cirúrgico no qual o médico remove uma pequena amostra de tecido da área afetada do seu corpo. Seu médico então examina esse tecido em busca de sinais de vasculite.

Tratamento de Vasculite:

O tratamento se concentra no controle da inflamação com medicamentos e na resolução de qualquer doença subjacente que desencadeie a vasculite. Para a sua vasculite, você pode passar por duas fases de tratamento – primeiro parar a inflamação e, em seguida, evitar a recaída (terapia de manutenção).

Ambas as fases envolvem medicamentos prescritos. Quais drogas e quanto tempo você precisa para tomar dependem do tipo de vasculite, dos órgãos envolvidos e da gravidade da sua condição. Algumas pessoas têm sucesso inicial com o tratamento, depois experimentam surtos mais tarde. Outros podem nunca ver sua vasculite desaparecer completamente e precisar de tratamento contínuo.

Medicamentos:

Seu médico pode prescrever uma droga corticosteroide, como a prednisona ou metilprednisolona (Medrol), para ajudar a controlar a inflamação. Os efeitos colaterais dos corticosteroides podem ser graves, especialmente se você os toma por um longo tempo. Possíveis efeitos colaterais incluem ganho de peso, diabetes e desbaste ósseo (osteoporose). Se um corticosteroide é necessário para a terapia a longo prazo (manutenção), você provavelmente receberá a menor dose possível.

Outros medicamentos podem ser prescritos com corticosteroides para controlar a inflamação, de modo que a dosagem dos corticosteroide possa ser diminuída mais rapidamente. Estas medicações são algumas vezes chamadas de poupadoras de esteroides e podem incluir etrotrexato, azatioprina, micofenolato ou ciclofosfamida.

A medicação específica que você precisa depende do tipo e gravidade da vasculite que você tem, quais órgãos estão envolvidos e quaisquer outros problemas médicos que você tenha. Terapias biológicas como rituximab ou tocilizumab podem ser recomendadas, dependendo do tipo de vasculite que você tem.

Cirurgia:

Às vezes, a vasculite faz com que uma protuberância (aneurisma) se forme na parede de um vaso sanguíneo. Essa protuberância pode precisar de cirurgia. Artérias bloqueadas também podem requerer tratamento cirúrgico.

Vasculite tem Cura?

A vasculite nem sempre tem cura, pois em alguns casos a doença pode ser autoimune e, neste caso, o indivíduo deverá seguir o tratamento proposto por toda a vida. A cura da doença vai sempre depender do que a originou.

Coping e Suporte:

Um dos seus maiores desafios de viver com vasculite pode ser lidar com os efeitos colaterais de sua medicação. As sugestões a seguir podem ajudar:

  • Entenda sua condição. Aprenda tudo o que puder sobre vasculite e seu tratamento. Conheça os possíveis efeitos colaterais dos medicamentos que você toma e informe seu médico sobre quaisquer alterações em sua saúde.
  • Siga o seu plano de tratamento. Seu plano de tratamento pode incluir consultar seu médico regularmente, fazer mais exames e verificar sua pressão arterial.
  • Escolha uma dieta saudável. Comer bem pode ajudar a evitar problemas potenciais que podem resultar de seus medicamentos, como desbaste de ossos, pressão alta e diabetes. Escolha uma dieta que enfatize frutas e legumes frescos, grãos integrais, produtos lácteos com baixo teor de gordura e carnes magras e peixes. Se você estiver tomando uma droga corticosteróide, pergunte ao seu médico se você precisa tomar um suplemento de vitamina D ou cálcio.
  • Receba as vacinas de rotina. Manter-se atualizado sobre as vacinas, como a gripe e a pneumonia, pode ajudar a evitar problemas que possam resultar de seus medicamentos, como infecções. Converse com seu médico sobre vacinas.
  • Exercite a maioria dos dias da semana. Exercícios aeróbicos regulares, como a caminhada, podem ajudar a prevenir a perda óssea, a hipertensão arterial e o diabetes que podem estar associados à ingestão de corticosteroides. Também beneficia o coração e os pulmões. Além disso, muitas pessoas acham que o exercício melhora o humor e a sensação geral de bem-estar. Se você não está acostumado a se exercitar, comece devagar e aumente gradualmente. Seu médico pode ajudá-lo a planejar um programa de exercícios adequado para você.
  • Mantenha um forte sistema de suporte. Família e amigos podem ajudá-lo a lidar com essa condição. Se você acha que seria útil conversar com outras pessoas que estão vivendo com esta condição, pergunte a um membro de sua equipe de saúde sobre como se conectar com um grupo de apoio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como Acabar com o Odor Vaginal em 10 Minutos!

Como Remover Uma Cicatriz Antiga!