Dor no peito: O que pode ser e o que fazer!

Se você já sentiu uma dor aguda e repentina no peito, como se fosse uma fisgada que vai e vem, deve ter logo imaginado -se for homem-: – “Agora eu vou pro saco!” Tranquilo! Isso pode ter sido uma condição chamada síndrome de captura precordial. A boa notícia é que, ao contrário de um ataque cardíaco, não é prejudicial e passa longe de ser fatal. Além de mais, todos nós já sentimos uma pontada penetrante no peito pelo menos uma vez.

De vez em quando, ela vem associada à falta de ar e pode chegar a se espalhar para as costas e para os braços. Apesar de durar poucos segundos, o incômodo e a sensação dolorosa são suficientes para deixar a pessoa bastante angustiada. Apesar de ser uma situação muito comum em crianças e adolescentes, poucas vezes paramos para tentar entender o que essa pontada realmente significa. Hoje, o nutri saude traz a explicação que os médicos dão para essa incômoda sensação.

Dor no peito

Síndrome de captura precordial

Esse é o nome oficial dessa pontada aguda que assusta muita gente porque parece indicar que a pessoa está prestes a sofrer algum problema mais sério no coração. Essa situação também é conhecida como Torsão de Texidor. Trata-se de uma dor na região torácica que ocorre na parte da frente do coração (por isso ela é chamada de precordial: pre = antes, cordial = coração). Em geral, atinge crianças e jovens, mas também pode se manifestar em adultos. É uma dor aguda, como se uma agulha estivesse entrando no peito, e pode aparecer em situação de repouso ou mesmo após uma sessão moderada de exercícios.

Quais são as causas?

Embora a sensação seja muito incômoda e esteja próxima do coração, ela não indica que exista um problema com esse órgão. O que acontece é que a pleura (a membrana que cobre alguns órgãos, como o diafragma) pressiona ou encosta — e, portanto, irrita — nos nervos que estão próximos à caixa torácica. É por isso que a dor pode começar na região das costelas inclusive em situação de repouso.

Um incômodo angustiante

Como a síndrome de captura precordial é mais comum em crianças e adolescentes, é muito frequente que nas primeiras vezes os pais corram para o hospital, angustiados que os filhos possam sofrer algum problema cardíaco. A inexplicável dor na região do coração faz com que a família se dirija ao pediatra pensando que possa ser o sinal de um ataque do coração. Nesse sentido, o principal desafio do médico é analisar os sintomas e o histórico do paciente para descartar qualquer problema no coração, ou mesmo alguma outra questão que demande um tratamento mais complexo.

O que pode ajudar

Apesar de se tratar de algo muito incômodo, a síndrome de captura precordial não é uma emergência médica. É importante a pessoa respirar profundamente para que a dor passe mais rapidamente. Contudo, algumas pessoas podem se sentir mal pelo esforço de hiperventilar. De qualquer forma, é recomendável mudar de posição; ou seja, se você estiver corcunda, estique o corpo e alongue as costas. Uma massagem na área também pode ajudar. Como a dor geralmente surge sem uma causa aparente (ela pode aparecer em repouso ou após algum exercício), não é possível prevenir.

Se a dor não estiver relacionada com outro problema, como bronquite ou asma, não existe motivo para ficar preocupado. A síndrome de captura precordial costuma desaparecer sozinha quando o jovem completa mais ou menos 20 anos. Ela não requer tratamento, embora alguns médicos recomendem anti-inflamatórios (AINES) para aliviar o incômodo. Contudo, se a dor aparecer com muita frequência, se a pessoa for diagnosticada com algum problema cardíaco ou se o incômodo vier acompanhado de outros sintomas, é fundamental consultar um médico.

Descobrir a origem

Essa pontada no peito costuma causar preocupação porque existem outras manifestações de mal-estar que também apresentam o mesmo tipo de dor. Algumas têm uma causa física e outras são apenas psicossomáticas. É importante que um médico diga qual é o caso. Existem alguns eventos que incluem dores na região do coração, entre eles: corpo estranho nas vias aéreas, hepatite, aerofagia (deglutição de ar), ingestão acidental de líquidos cáusticos, bronquite, pneumonia ou asma. Por outro lado, a dor também pode ser parte de sintomas psicossomáticos de ataque de pânico, síndrome de hiperventilação, ansiedade e/ou depressão.

De qualquer forma, é muito importante ir ao médico se você estiver preocupado. Nenhum diagnóstico na Internet pode substituir uma avaliação completa realizada por um profissional.

2 Comments

Leave a Reply
  1. Ontem mesmo senti essa dor q começou no ombro e acabou nas costelas e axilas, fiquei preocupada pois era uma dor quase insuportável, tomei um relaxante muscular depois de um tempo passou já tive essa dor uma outra vez!

  2. Essa matéria sobre a síndrome de captura precordial, foi muitíssimo útil para mim. Tenho tido esse problema, aos sessenta anos. Sinto que não é no coração, pratico exercícios e os médicos não sabiam me explicar o que está me acontecendo. Eu já estava muito preocupada. Fico muito grata pela notícia.
    Isso precisa ser divulgado.
    Amigos com esse problema que foram parar no hospital, receberam uns pares de cateter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como perder peso sem fazer exercícios

4 Doenças que afetam mais as mulheres

Creme dental caseiro para clarear os dentes em minutos