Sentiu uma pontada no peito? Veja o que pode ser e o que fazer!

Se você já sentiu uma dor aguda e repentina em um dos peitos, como se fosse uma fisgada que vai e vem, deve ter logo imaginado-se for homem: “Agora eu vou pro saco!” Tranquilo! A dor no peito é um sintoma mais comumente associado a um ataque cardíaco.

Mas isso pode ser causado por muitas outras coisas, desde a tensão muscular no peito até o refluxo ácido. Mas, independentemente da causa desse sintoma, lembre-se: nunca ignore a dor no peito. As razões mais comuns pelas quais o seu peito pode doer têm a ver com o coração, pulmões, esôfago e outros órgãos e estruturas no peito ou logo abaixo dele.

Dependendo da causa, a dor no peito também varia em gravidade e duração. Abaixo, listamos algumas causas comuns de dor no peito e a explicação que os médicos dão para essa incômoda sensação.

Dor no peito

Causas de dor no peito:

Listamos aqui, as diferenças entre as principais causas de dor no peito, para que seja mais fácil identificar e saber o que fazer em cada situação:

1. Excesso de gases:

O excesso de gases é possivelmente a causa mais comum de dor na região do tórax e não está relacionada com problemas no coração, surgindo frequentemente em pessoas que sofrem com prisão de ventre. O acúmulo de gases no intestino pode empurrar alguns órgãos abdominais, acabando por criar uma dor que irradia para o peito.

Como identificar: geralmente é uma dor em pontada aguda que desaparece, mas que volta a surgir repetidamente, especialmente ao dobrar sobre a barriga para pegar algo do chão, por exemplo.

O que fazer: uma boa estratégia consiste em fazer massagens na região do intestino para ajudar a empurrar os gases, mas também pode se adotar uma posição que facilite a eliminação dos gases. Além disso, caminhar por alguns minutos também pode ajudar. Nos casos mais complicados, o médico pode aconselhar o uso de medicamentos como a simeticona, por exemplo.

2. Ansiedade e estresse:

A ansiedade, assim como o excesso de estresse provocam um aumento da tensão muscular nas costelas, além de aumentar os batimentos cardíacos. Esta combinação provoca uma sensação de dor no peito, que pode surgir mesmo quando a pessoa não se sente estressada, mas teve alguma discussão momentos antes, por exemplo. Isso acontece mais comumente em quem está frequentemente estressado ou sofre de síndrome do pânico e ansiedade.

Como identificar: normalmente é acompanhado de outros sintomas como respiração rápida, excesso de transpiração, batimentos cardíacos acelerados, náuseas e, até, alterações no funcionamento do intestino.

O que fazer: tentar repousar em um local calmo, tomar um chá calmante, como valeriana, ou fazer alguma atividade de lazer, como ver um filme, jogar, ir na academia ou fazer jardinagem.

3. Dor muscular

As lesões musculares são muito comuns no dia-a-dia, principalmente em quem frequenta a academia ou faz algum tipo de esporte. No entanto, elas também podem acontecer após atividades mais simples como tossir muito ou pegar em objetos pesados. Além disso, durante situações de estresse ou medo, os músculos também podem ficar muito contraídos, resultando em inflamação e dor.

Como identificar: é uma dor que pode piorar ao respirar, mas que também é agravada ao rodar o tronco, para olhar para trás, por exemplo. Além de surgir após situações como as indicadas acima.

O que fazer: uma boa forma de aliviar a dor muscular é repousar e aplicar compressas mornas sobre a região dolorida. Também pode ajudar alongar os músculos do peito, colocando os dois braços esticados para trás e agarrando as mãos.

4. Refluxo gastroesofágico

Pessoas que sofrem com refluxo gastroesofágico e não fazem uma dieta adequada têm maiores chances de sentir dor no peito frequente, pois está relacionada com a inflamação do esôfago que acontece quando o ácido do estômago chega até às paredes do órgão. Quando isso acontece, além de intensa queimação, também é possível sentir dor no peito.

Como identificar: na maioria dos casos é uma dor no meio do peito (no esterno) que surge acompanhada de queimação e dor de estômago, no entanto, também pode surgir com uma ligeira sensação de aperto na garganta, que acontece devido aos espasmos do esôfago, assim a pessoa pode apresentar dor no peito ao engolir.

O que fazer: tomar um chá de camomila ou gengibre, pois melhoram a digestão e diminuem a acidez do estômago, reduzindo a inflamação do esôfago. Além disso, pode-se tomar um antiácido ou sal de frutas. Fora da crise deve-se manter uma dieta leve, sem alimentos gordurosos ou picantes, por exemplo.

Quando ir ao médico:

É importante procurar ajuda médica quando a dor no peito demora mais de 20 minutos para aliviar e sempre que a dor traz preocupação para a pessoa. Além disso, outros sintomas que podem indicar que é importante ir ao médico incluem:

  • Tonturas;
  • Sudorese fria;
  • Vômitos e náuseas;
  • Dificuldade para respirar;
  • Dor de cabeça intensa.

O importante é que a pessoa procure ajuda médica sempre que a dor no peito trouxer preocupação, para despistar possíveis problemas sérios.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*