Dor no peito? Veja o que pode ser e o que fazer!

A dor no peito nem sempre é sintoma de angina ou infarto, podendo estar relacionada com problemas respiratórios, excesso de gases, crises de ansiedade ou fadiga muscular, por exemplo.

A dor no peito costuma ser preocupante quando é muito intensa, quando piora ao realizar esforços ou quando vem acompanhada de falta de ar, enjoo ou suores frios. Assim, o mais importante é observar quando a dor surge, qual o seu tipo e se está acompanhada por outros sintomas. Entenda como diferenciar o infarto de outros tipos de dor.

Como existem muitas possibilidades para uma dor no peito, é importante ir ao hospital sempre que a dor durar mais que 20 minutos para diminuir ou quando piora ao longo do tempo, especialmente quando surgem outros sintomas como tonturas, sudorese fria, dificuldade para respirar, formigamento nos braços ou dor de cabeça intensa.

Listamos aqui, as diferenças entre as principais causas de dor no peito, para que seja mais fácil identificar e saber o que fazer em cada situação:

Causas de dor no peito:

Existem diversas causas possíveis para a dor no peito. Ela também pode estar diretamente relacionada a alguns órgãos. Confira:

Causas ligadas ao coração:

  • Infarto
  • Angina
  • Dissecção aórtica
  • Pericardite.

Causas ligadas ao trato digestivo:

  • Azia ou doença do refluxo gastroesofágico
  • Espasmo no esôfago
  • Doenças no esôfago, que dificultam a deglutição
  • Vesícula biliar e problemas com o pâncreas
  • Úlceras ou gastrite.

Causas ligadas aos músculos e ossos:

  • Síndrome costosternal
  • Dor muscular
  • Costelas lesionadas.

Causas ligadas ao pulmão:

  • Embolia pulmonar
  • Pleurisia
  • Pneumotórax (colapso do pulmão por entrada de ar entre ele e as costelas)
  • Hipertensão pulmonar.

Dor no peito também pode estar relacionada a outros problemas, como:

  • Ataque de pânico
  • Herpes-zóster.

Medicamentos para dor no peito:

A dor no peito pode ter diversas causas, de modo que o tratamento varia de acordo com o diagnóstico estabelecido pelo médico. Por isso, somente um especialista capacitado pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Os remédios mais comuns no tratamento de dores no peito são:

  1. Dipirona
  2. Ares.

Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Em caso de dor cardíaca, os medicamentos só devem ser utilizados como preparação para um exame diagnóstico (que precisa afastar o risco de infarto) ou depois da angioplastia ou do infarto (para evitar novos eventos). Estes são muitos, geralmente AAS, beta bloqueadores, anti hipertensivos e dilatadores dos vasos sanguíneos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*